5 hacks psicológicos para aumentar o impacto de suas campanhas de email

Tempo de leitura: 5 Minutos Além do Email

Nem sempre é possível sentar e pensar logicamente sobre cada decisão que tomamos, especialmente devido ao fato que tomamos centenas de decisões todos os dias. Portanto, usamos atalhos, confiamos em como nos sentimos para fazer muitas de nossas escolhas.

Por exemplo, na sua caixa de entrada, você lê apenas os emails que chamam sua atenção e exclui o resto. Isto é uma escolha emocional. É por isso que a compreensão da psicologia e do comportamento de um consumidor é importante para um profissional de marketing. Você deve saber o que chama a atenção do consumidor e o que pode ser desinteressante para ele.

Abaixo estão alguns desses fenômenos psicológicos que afetam a decisão de um consumidor:

1. Use o MDP (medo de perder)

A maioria dos seres humanos tem uma aversão à perda; seu MDP muitas vezes os empurra para a ação.

De fato, de acordo com um estudo realizado com britânicos, eles foram 39% mais propensos a abrir um email quando este prometia aliviar o medo de perder alguma oportunidade.

Por exemplo, se em um email há menção de uma “oferta de desconto especial de 50% apenas para você”, isto pode soar atraente, mas não o suficiente para obter uma resposta imediata. Se ao invés desta frase, substituir por: “desconto especial de 50% apenas para você – expira em 1 hora”, há uma maior probabilidade de obter uma resposta instantânea.

Este é um princípio que sites de eCommerce usam muito bem. Como já pode ter notado, embaixo de um produto à venda muitas vezes encontramos uma frase parecida com, “último do estoque”. Isso desencadeia um sentimento de urgência que empurra o consumidor a agir com rapidez.

Assim sendo, escassez e urgência são as chaves para obter ação. A escassez é também um princípio econômico em que quando a oferta de um bom produto é baixa, a demanda tende a ser alta e parece mais desejável.

Você pode usar o MDP ao incluir palavras como ‘expira’ na linha de assunto, para melhorar as taxas de abertura. Use o corpo do email para explicar melhor a escassez ou a urgência do produto e aumentar a taxa de cliques.

2. Escolha as cores certas para obter a resposta certa

A psicologia das organizações estima que a cor pode representar até 60% do motivo para a aceitação ou rejeição de um produto ou serviço.

A cor provoca respostas emocionais dos leitores, portanto escolha o esquema de cores dependendo da resposta emocional que você deseja desencadear em seu público alvo ao ler o email.

Por exemplo, o vermelho é conhecido por infundir um sentimento de perigo ou urgência e pode aumentar a freqüência cardíaca, enquanto o laranja está associado à agressividade e pode empurrar os leitores a clicar na CTA (chamada à ação). Além disso, o azul representa confiabilidade e, portanto, serve bem para quando você está falando de segurança.

Embora cada cor é conhecida por desencadear uma emoção muito específica, tenha em mente que a melhor maneira de descobrir a cor que provoca a melhor resposta é através da tentativa e erro.

Além disso, ao escolher cores, não é suficiente apenas escolher uma cor para o tema do email e escolher aleatoriamente as cores dos demais componentes do email. De acordo com Three Deep, a cor da CTA, por exemplo, deve complementar o email para se obter os melhores resultados.

3. Guie usando uma imagem

Assim como as cores, as imagens também provocam uma resposta emocional do leitor, por isto o famoso ditado, “uma foto vale mais que mil palavras”.

A verdade é que a maioria de seu público alvo não vai parar para ler cada palavra de seu email. Eles provavelmente vão apenas passar o olho para ver se há alguma coisa interessante e depois seguir em frente. Nesses casos, imagens poderosas podem agarrar a atenção do leitor.

Ao escolher fotos para o seu email, use imagens de pessoas, especialmente de pessoas felizes, ao invés de imagens impessoais. Tais imagens terão mais êxito em chamar a atenção do leitor.

Você pode também usar uma imagem para direcionar o leitor para um determinado espaço em seu email; por exemplo, o local onde fica a CTA. A imagem de uma pessoa sorrindo e apontando para o botão de inscrição pode ser bastante eficaz.

4. Use o conteúdo para construir um relacionamento profundo com o cliente

Para a maioria das empresas, seu escopo de personalização não vai além de adicionar o nome do destinatário no topo do email. Você precisa entender que a razão por trás da personalização é muito psicológica.

De acordo com um estudo feito pela Universidade do Texas, desejamos experiências personalizadas devido a duas principais razões: o nosso desejo de controle e sobrecarga de informações.

Mesmo que o leitor não tenha controle literal sobre o email, ao perceber que ele foi pessoalmente adaptado e é exclusivo para o indivíduo, ele cria uma ilusão de controle. Além disso, numa era de tanta informação chegando ao mesmo tempo, a única maneira de agarrar a atenção do seu leitor é falar com eles sobre eles e não falar para eles!

O uso da personalização é um meio de estabelecer um importante vínculo com seus clientes, entendendo quem eles são e o que eles querem, e usando esses dados para compor seu email.

Você pode infundir a personalização em suas campanhas de email de várias maneiras. Por exemplo, digamos que sua empresa é uma startup que faz entregas de compras de supermercado e você sabe que está chovendo fortemente no local em que está situado seu cliente. Poderia enviar um email personalizado para tirar proveito desta situação, dizendo: ‘E aí, a chuva atrapalhou? Deixe-nos fazer o trabalho para você!’

Usando fatores simples para segmentar, como a idade, sexo e localização do cliente pode ajudá-lo a personalizar de maneira eficaz. Se seu negócio ainda é pequeno ou está em fase de crescimento, não precisa investir em ferramentas caras de última geração para fazer isso. Ferramentas como rótulos compartilhados e regras ou filtros para segmentar sua base de clientes é uma alternativa inteligente e com boa relação custo-benefício.

5. Convença melhor usando evidências sociais

A influência social é outro fenômeno psicológico importante que afeta o comportamento do consumidor, já que eles olham para as ações de outros consumidores para tomar sua decisão sobre um produto ou serviço.

De fato, um estudo mostrou que 63% dos consumidores indicaram serem mais propensos a comprar algo quando um site possui avaliações sobre o produto.

Podemos inferir a partir destes dados que um email que contém alguma evidência social será mais eficaz do que um que não a possui. Não é necessário incluir páginas e páginas de depoimentos para impressionar seu público-alvo; às vezes uma breve frase de um cliente sobre o seu produto será mais que o suficiente. Outra idéia é incluir um link para sua página de depoimentos e opiniões.

Na realidade, você pode ser criativo nesta parte e encontrar outras formas inteligentes de apresentar evidências sociais sem ser muito explícito, como compartilhar o número de visualizações do seu vídeo no Youtube ou o número de clientes satisfeitos que possui.

Conclusão

Os dados são certamente importantes ao tomar suas decisões sobre email marketing, mas lembre-se de que o marketing é tanto uma ciência quanto uma arte. Você deve entender as mentes dos consumidores para realizar campanhas realmente eficazes; às vezes a melhor maneira de fazer isso é experimentar de pouco a pouco para assim descobrir o que está funcionando. A lista acima oferece boas dicas para começar.

Você está pronto para interagir com seus clientes de modo mais eficiente?

A Benchmark ajuda você a fazer email marketing de modo prático. Crie um relacionamento contínuo com seus assinantes que conduz a vendas e clientes mais felizes.